Prefeitura de São Paulo divulga regras para reabertura dos cinemas da capital

Neste momento, a cidade de São Paulo está na fase amarela do plano e ainda não há data certa para reabertura das salas de cinema. No dia 7 de agosto o prefeito Bruno Covas (PSDB) afirmou que a expectativa da gestão municipal é que a capital avance de fase na 2 quinzena de setembro, mas que isso ainda depende de avaliação dos indicadores da cidade sobre a situação dos casos de coronavírus entre os paulistanos.

Quando forem autorizados a reabrir as atividades, as salas de cinema poderão funcionar com 60% da capacidade, espaçamento entre as poltronas, uso obrigatório de máscaras durante as sessões, além de dar preferência para vendas de ingressos online, para evitar aglomerações, entre outras regras sanitárias.

Veja todas as normas do protocolo de reabertura dos cinemas estabelecidas pela Prefeitura de SP:

  • as salas devem ser abertas 30 minutos antes da sessão começar para evitar filas e aglomerações no acesso dos clientes;
  • o uso de máscara é obrigatório dentro das salas e o álcool em gel deve estar disponível para higienização das mãos;
  • quem estiver na sala só vai poder tirar a máscara para consumir algum alimento;
  • os ingressos devem ser vendidos preferencialmente pela internet e as máquinas de autoatendimento devem ficar a 1,5 metro de distância umas das outras;
  • a capacidade das salas deve ser reduzida a 60%;
  • os assentos devem ser intercalados e com distanciamento entre as pessoas de 1,5 metro;
  • é proibida a concentração de grupos com mais de 6 pessoas e é preciso ter marcações no piso para manter a segurança e o distanciamento entre os clientes.

Plano São Paulo

A flexibilização da quarentena é feita de modo diferente em cada uma das regiões da capital. Foto: iStock. O plano foi criada no dia 1º de junho e dividiu o território de acordo com as 17 Divisões Regionais de Saúde (DRS). A Grande São Paulo foi subdividida em outras 6 regiões, uma para a capital e outras 5 para cada grupo de cidades da Região Metropolitana, a flexibilização da quarentena é feita de modo diferente em cada uma dessas regiões.

Os critérios que baseiam a classificação das regiões são: taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs); total de leitos por 100 mil habitantes; variação de novas internações, variação de novos casos confirmados e variação de novos óbitos. Para mudança para a fase verde também são considerados óbitos e casos para cada 100 mil habitantes.

Esses critérios definem em qual das cinco fases de permissão de reabertura a região se encontra:

  • Fase vermelha: Permitido o funcionamento apenas de serviços essenciais.
  • Fase laranja: Também podem reabrir imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio e shoppings podem reabrir, mas com restrições.
  • Fase Amarela: Também podem reabrir salões de beleza, bares, restaurantes, academias, parques e atividades culturais com público sentado podem funcionar, mas com restrições.
  • Fase verde: Também podem reabrir eventos, convenções e atividades culturais com público em pé poderão voltar a acontecer quando houver uma estabilidade de quatro semanas do estado de São Paulo na fase verde (4), também com restrições.

Leia também: 

***
Fonte: G1 / São Paulo.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.