Maria e Herbert Duschenes: muito além da dança, da arte e da arquitetura

O Itaú Cultural homenageia Maria e Herbert Duschenes. Apesar de atuarem em áreas distintas – ela no campo da dança e ele no da arquitetura –, ambos se dedicaram à educação e desenvolveram formas inovadoras de compartilhar o saber.

O programa Ocupação chega à sua 29ª edição e celebra o que o casal Duschenes transformou em arte: a capacidade e a generosidade de dividir experiências. O espaço expositivo revela fotos, planos de aulas, vídeos e outros documentos que contam em parte como era a construção de conhecimento realizada por eles e por seus alunos.

Maria e Herbert – ela húngara e ele alemão – chegaram ao Brasil na mesma data, em 1940, e pelo mesmo motivo – os conflitos gerados pela Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Influenciada pelos estudos do coreógrafo e teórico da dança Rudolf Laban (1879-1958), Maria desenvolveu aqui um trabalho de dança pioneiro baseado na experimentação, na liberdade e no autoconhecimento.

Família Duschenes e amigos reunidos em Montreal, no Canadá (Foto: acervo família Duschenes/Itaú Cultural).
 

Na década de 1950, a bailarina e professora passou a dar aulas práticas e teóricas em sua casa, em São Paulo (SP), além de ministrar cursos de formação. Os anos seguintes foram marcados por importantes coreografias criadas por ela, como as dos espetáculos O Sacro e o Profano: Muitas São as Faces do Homem (1965), Espetáculo Cinético (1972), Magitex (1978), Origens I (1990) e Origens II (1991).

As ideias vanguardistas de seu companheiro, Herbert, revelam a comunhão não apenas pessoal, mas também profissional de ambos. Na sala de aula de Herbert cabia o mundo. Os vídeos de suas viagens por diferentes culturas convidavam os alunos a enxergar o entorno de forma ampla e autônoma.

Imagem do espetáculo Magitex (1978), que contava com coreografia de Maria Duschenes e participação de bailarinos

como Denilto Gomes, Juliana Carneiro da Cunha e J. C. Violla. Foto: Acervo Centro Cultural São Paulo.

Em 1967, Herbert ingressou como docente no Departamento de Artes Plásticas da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), onde lecionou por cerca de 30 anos. Durante esse período, conhecer outras culturas passou a ser parte importante da profissão de professor. Ao longo de sua atividade docente, Herbert percorreu vários locais da Europa, da Ásia, da África e da América.

Além da exposição, você pode saber mais sobre o casal em uma publicação que o Itaú Cultural preparou para a ocasião e no site do programa Ocupação.

Acesse a aba programação e confira mais informações.

Serviço

Ocupação Maria e Herbert Duschenes.
Visitação quinta 28 de abril a domingo 12 de junho de 2016.
Terça a sexta 9h às 20h (permanência até as 20h30).
Sábado, domingo e feriado 11h às 20h.
Piso térreo.
Entrada gratuita – livre para todos os públicos.

***
Fonte Itaú Cultural.

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.