Em Ilhabela, praia isolada é abastecida 24h com energia solar

Os moradores da praia do Bonete tiveram a rotina alterada no último mês, quando foi concluída a instalação de placas solares em todos os 180 imóveis da comunidade, onde só se chega de barco ou por uma trilha de duas horas.

Sem precisar depender de geradores ou da pequena hidrelétrica local, eles terão energia contínua para conservar alimentos na geladeira, assistir TV ou acender lâmpadas durante a noite.

Também os turistas, principal fonte de renda do Bonete, poderão ficar mais tempo na praia e ser melhor servidos.

Há mais de 60 anos no Bonete, a aposentada Maria Lilian de Oliveira, 80, vive sozinha numa pequena casa onde agora já instalou lâmpadas de led, uma geladeira e um tanquinho elétrico para lavar as roupas. O chuveiro dela, assim como a da maioria, ainda é a gás.

“Agora melhorou 100% e não falta mais luz com as placas. No passado eu tinha que salgar a carne e o peixe para não estragar e usava lampião a gás”, contou.

A energia elétrica contínua era uma demanda antiga. “Perdíamos muitos alimentos, por falta de conservação. Muita gente também perdeu TV e geladeira, porque havia oscilação da energia”, diz o presidente da Associação Bonete Sempre, André Queiróz.

Há uma pequena hidrelétrica na praia, que abastecia o local por poucas horas por dia. A opção era o uso de um gerador, insuficiente para os 230 moradores, principalmente pelo custo do combustível.

Benedito Corrêa, 95, também mora sozinho e conta com a assistência dos filhos. Ele diz que com a luz o dia todo, gosta de passar o tempo assistindo TV. Antes, chegou a enfrentar dificuldades em coisas simples, como ir ao banheiro no meio da noite, sem ter uma lâmpada para facilitar o trajeto.

Para Benedito dos Santos Neto, 55, o grande problema era com a conservação dos alimentos. Esse cenário se agravava ainda mais no verão, devido as altas temperaturas.

“Ficou muito bom, a gente vai poder usar um ventilador no verão e tem como guardar os alimentos. Tinha gente que ia dormir na praia por não aguentar o calor”, disse.

GELO

Rosângela Rodrigues dos Santos Oliveira, 49, conta que já possuía a geladeira antes, mas que ela gelava durante o dia e descongelava durante a noite, quando a energia caía. “Com as placas está suficiente. Minha geladeira está funcionando até bem demais, uma maravilha”.

Ela, que também trabalha como caseira, diz que tem em casa outros itens como secador de cabelos e uma máquina de costura, que agora pode utilizar.

A instalação das placas de energia solar ocorreu por meio do Programa Luz para Todos, do governo federal, ao custo de R$ 5 milhões.

A Elektro, concessionária local, ficará responsável pela manutenção. Para aderir ao programa, os moradores tiveram que aceitar um termo e se comprometeram a pagar um valor fixo mensal de R$ 38.

O sistema não tem, porém, a mesma potência da rede de energia por cabeamento e ainda é restrita para uso de chuveiro e máquina de lavar roupas. 

Ricardo Hiar na Folha de S. Paulo. 

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.