Final de batalha de games reúne 12 mil torcedores na Arena Palmeiras

 

A equipe vencedora levou R$ 60 mil e poderá disputar mundial na Alemanha. Fãs também lotaram cinemas de 16 estados onde houve transmissão.

Neste sábado (8), não teve futebol na Arena Palmeiras, em São Paulo, mas teve torcida para ver uma grande final: 12 mil pessoas, todos os ingressos vendidos para acompanhar ao vivo a batalha entre os melhores jogadores de game do Brasil.

Tem ola, torcida enlouquecida, locutor e comentarista, dois times, jogador profissional que é ídolo de multidões, entrevista coletiva e é num estádio. Parece muito com futebol, mas é game!

“Esses aqui são meus equipamentos: um teclado de bom nível mecânico, o nosso mouse lindo. E é tudo que a gente precisa para poder fazer o nosso show”, diz o jogador Leonardo ‘Alocs’ Belo, da equipe INTZ.

E bota show nisso! Os caras são os finalistas do campeonato brasileiro de um jogo de computador que tem quase 70 milhões de jogadores no mundo todo. Alguns deles chegam a ganhar R$ 25 mil por mês para jogar game. “Coloca aí uma média de R$ 2, R$ 3 mil para a pessoa que simplesmente só quer jogar. Mas, quando o cara realmente trabalha bem a imagem, ele pode receber esse valor aí”, diz Felipe ‘brTT’ Gonçalves, jogador da equipe PAIN.

Trabalhar a imagem, no caso deles, inclui ter muitos fãs na internet. E foram esses fãs que esgotaram os 12 mil ingressos dessa final em apenas duas horas e meia de vendas. Uma plateia vidrada em jogos eletrônicos que não mediu esforços para estar lá.

No jogo, cada time precisa conquistar a base inimiga. Para isso, cada jogador escolhe um personagem com poderes diferentes e assume uma função estratégica no campo de batalha.

Felipe, conhecido como brTT, que é um dos maiores ídolos desse game, explica o que ele faz: “Eu sou atirador, o cara que vai chegar lá e vai finalizar a jogada. Então, eu sou meio que um atacante, o Romário”, compara.

A cada lance de efeito, a torcida vibra como se fosse um gol e sofre pelo time preferido. Equipe PAIN contra equipe INTZ. “Estou achando muito emocionante. Já estou ficando sem voz e com dor no braço. Acho que a Intz ganha. A Intz ganha de 3 a 2”, arrisca um torcedor.

“Falar baixo aqui: sou corintiano. Aqui é o estádio do Palmeiras. A gente faz esse sacrifício para presenciar o e-sport. A primeira taça vai ser da PAIN. A partida está bem disputada. É um marco histórico para o e-sport, esporte eletrônico, no Brasil”, conta outro.

A final foi transmitida pela internet. Essa turma é tão louca por esse jogo que muita gente que não pôde ir ao estádio lotou cinemas de 16 estados do Brasil que fizeram a transmissão ao vivo.

Depois de quase quatro horas de jogo, 3 a 0 para a equipe PAIN sobre a INTZ. E o grito da torcida explodiu, no melhor estilo futebol. Pela vitória, eles ganharam R$ 60 mil e o direito de disputar uma vaga para o mundial, que vai ser em outubro, na Alemanha. No ano passado, o time campeão mundial levou US$ 1 milhão.

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.