Prefeitura financiará projetos de tecnologia com soluções para a mobilidade urbana


A Prefeitura de São Paulo lançará no início do mês de outubro 
um edital de chamamento público para a seleção e financiamento de novos projetos de tecnologia da informação e da comunicação, com foco na mobilidade urbana da cidade. A iniciativa foi apresentada a jovens programadores e representantes de startups na tarde desta segunda-feira (21), no Centro Cultural São Paulo (CCSP), durante o evento “Mobicidade e Governo Aberto”, que faz parte das atividades da Semana da Mobilidade 2015.
Os projetos, que poderão ser aplicativos para smartphones e computadores, ferramentas digitais ou softwares, deverão apoiar o município na gestão de temas relevantes para a cidade, como a contagem volumétrica em ciclovias, planejamento participativo do trânsito, além de sistemas de monitoramento de transporte coletivo privado ou de operação de semáforos de tempo fixo. Outros projetos poderão ser um aplicativo móvel para registrar reclamações de usuários dos ônibus e um sistema de atendimento à pessoa com deficiência que deseja se cadastrar no serviço Atende ou táxi acessível. Veja a descrição dos projetos.

“Esses aplicativos, ferramentas ou dispositivos são essenciais para que a gente, além de ter as informações, também possa tomar decisões e tenha controle do sistema. Isso é ainda melhor se for feito com um preço mais adequado, que é o que queremos com esse edital”, afirmou o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

“A gente observa o setor privado inovando, apresentando novos produtos, serviços mais rápidos e com mais qualidade. Entregando mais por menos. Enquanto isso, o setor público não vem inovando. As maneiras tradicionais que o setor público vem contratando tecnologia não garantem a inovação e além disso, não garantem a participação popular e a transparência”, afirmou o chefe de gabinete da São Paulo Transportes (SPTrans), Ciro Biderman.

O objetivo é que esses projetos sejam apresentados somente por microempreendedores individuais, micro, pequenas e médias empresas em três categorias de financiamento, de R$ 50 mil a R$ 200 mil reais. Eles deverão ser desenvolvidos por um período de 6 a 24 meses, priorizando o sistema open-source ou código aberto. As criações serão desenvolvidas no MobiLab, Laboratório de Mobilidade da Secretaria Municipal de Transportes (SMT).

“Essas startups tem uma molecada de boas ideias, que fazem com três ou quatro pessoas, montam uma empresa e, em dois ou três meses, o projeto está pronto. É isso que queremos trazer para o setor público e mudar a forma como se contrata tecnologia, para que ela traga inovação efetivamente”, disse Biderman, que coordena o MobiLab.

MobiLAB

O Laboratório de Tecnologia e Protocolos Abertos para Mobilidade Urbana foi lançado em março do ano passado, para incentivar a criação de aplicativos para smartphones e tablets, desenvolver softwares e dispositivos para semáforos, radares, GPSs e para todos os demais aparelhos usados com o propósito de contribuir para a solução e modernização dos sistemas existentes. A proposta, inédita no gerenciamento do setor no poder público, reúne elementos de uma experiência concreta de governo aberto: inovação, transparência e participação da sociedade civil.

No laboratório foram formados grupos de pesquisa, cada qual com um foco diferente em mobilidade no transporte e no trânsito. Foram oferecidas bolsas de pesquisa para estudantes do ensino médio até especialistas em Tecnologia da Informação (TI). Os bolsistas recebem um apoio financeiro da Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (FUSP), que varia de R$ 351,90 a R$ 5.908,80, de acordo com o currículo, experiência na área e horas de dedicação semanais ao projeto. 

 
 
A primeira atividade promovida pelo laboratório foi a Hackatona, realizada em março pela CET em parceria com a FUSP. Participaram da maratona 51 hackers e 15 projetos relacionados à área. O aplicativo ‘Como estou dirigindo?’ foi o vencedor da hackatona. O dispositivo avalia como motoristas desconhecidos estão dirigindo a partir da inclusão de dados como placa do veículo e modelo, bem como críticas ou elogios da forma de condução por meio de #hashtags pré-definidas. Pelo projeto, a equipe Mil Diálogos, responsável por sua execução, recebeu um prêmio no valor de R$ 10 mil.

Fonte: Secretaria Executiva de Comunicação.

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.