‘Cartilha do Ciclista’ tem boas práticas para uma convivência saudável e segura

O crescente número de ciclistas incentivados pela expansão da malha cicloviária é uma realidade, não mais uma projeção. É o que dizem estudos de entidades do setor. Um dos exemplos mais recentes é a avenida Paulista, que viu o número de pessoas pedalando dobrar após a construção de uma via destinada para as bicicletas.
 

O futuro é promissor, uma vez que o meio de deslocamento atinja novos adeptos. Surge então a demanda da conscientização por parte dos ciclistas para entender melhor a cidade e seus agentes, e sobretudo pedalar de maneira segura, uma vez que, em eventual colisão, o pedalante pode levar a pior.

A publicação logo de cara mostra os benefícios da bike como meio do deslocamento, desde o espaço que ocupa na via em relação aos automóveis, que ocupam 80% do viário e transportam apenas um terço de quem se desloca. É informado também que muitas vezes a bicicleta pode ser mais rápida que o carro. Este que vos escreve, se fosse de carro da Mooca até o Jabaquara no deslocamento casa/trabalho em 12 km de distância, gastaria 1h40 em média; de bicicleta, são 60 minutos.A prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal dos Transportes junto com a Companhia de Engenharia de Trafego (CET) e com o apoio do banco Itaú, distribuiu na semana do Dia Mundial Sem Carro (22/9) alguns exemplares da “Cartilha do Ciclista”. Trata-se de uma manual ilustrado, com 52 páginas destinadas às boas praticas.

O manual relata também a importância dos acessórios, desde os recomendados, como luzes, paralamas e trancas, até os obrigatórios segundo o Código de Trânsito Brasileiro, como sinalizações noturnas refletivas e espelho retrovisor. O capacete não é obrigatório por lei.

Ciclista e a via
 

O manual informa dicas preciosas referentes à sinalização semafórica e horizontal. Ele se baseia na premissa de que a bicicleta é um veículo como qualquer outro, portanto deve seguir as normas de trânsito. Outra recomendação valiosa é deixar de usar fones de ouvidos enquanto pedala, para estar mais atento ao trânsito.

A publicação também explica as definições de ciclovia, ciclofaixa e calçada compartilhada, lembrando da preferência sempre do pedestre, o elo mais fraco do trânsito. Ainda do ponto de vista de segurança, a cartilha menciona sinalizações com a mão que o ciclista pode utilizar nos cruzamentos e conversões, a fim de que os demais veículos interpretem a rota da bicicleta.

Versões online e para download
 
 

O manual foi apresentando a cicloativistas em 21 de setembro, durante evento de divulgação do resultado da pesquisa que levantou o perfil das pessoas que pedalam em São Paulo, e foi distribuída nos eventos da Semana da Mobilidade. O lançamento oficial ocorreu em 5 de outubro, em evento no centro da cidade.

Leia a cartilha aqui ou faça download da versão em PDF.

Fonte: Vá de Bike e CET.

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.