Cidades pelo mundo que estão transformando seus rios em novos atrativos urbanos

Os casos que refletem esta visão são muitos ao redor do mundo e podem inspirar outras cidades a iniciar suas próprias transformações. 

1. Chicago, EUA.

Por mais de um século, o principal rio de Chicago permaneceu contaminado por resíduos que desde a Revolução Industrial vinham sendo nele despejados. No entanto, quem caminha hoje por um trecho de seis quadras entre as ruas Lake e State pode desfrutar de uma paisagem completamente transformada.

Em cada uma das quadras, o projeto, intitulado “Chicago Riverwalk” (ao lado), favorece o desenvolvimento de certas atividades, desde restaurantes até a prática de esportes aquáticos e terrestres. 

2. Los Angeles, EUA.

O projeto GreenWay, que propõe um parque linear de 82 quilômetros de extensão, está em sua última fase de projeto. A prefeitura da cidade anunciou recentemente a escolha dos escritórios Gruen Associates, Mia Lehrer + Associates e Oyler Wu para projetar o último trecho de 19km, que contará com passeios peatonais, ciclovias e diversas áreas verdes e de lazer. 

3. Medellín, Colômbia.

Projeto Parques del Río Medellín, Colombia. Imagem: Equipe Primeiro Lugar.

Em 2013, Medellín lançou um concurso público internacional que convocava arquitetos de todo o mundo a enviarem propostas de como integrar o rio na cidade e criar novos espaços públicos mediante a redistribuição do espaço viário. 

O projeto vencedor se chama “Parque Botânico Rio Medellín”, desenvolvido pelo escritório Latitud Taller de Arquitectura y Ciudad e que já está sendo construído. 

4. New York, EUA.

O projeto POOL em New York. Foto: Family PlayLab Inc.

Uma piscina flutuante que filtra a água do East River e, simultaneamente, oferece espaços de lazer para banhistas é a proposta de Family e PlayLab, que se tornou um dos projetos cívicos mais apoiados através de financiamento coletivo no mundo todo. 

Anunciado pela primeira vez em 2011, o projeto +POOL angariou mais de 273 mil dólares para financiar os estudos de viabilidade para a piscina. 

5. Oklahoma, EUA.

River Sports Rapids no Rio Oklahoma, EUA. Imagem: Elliott + Associates Architects.
Um desvio no rio Oklahoma entre as décadas de 1920 e 1930 acabou o convertendo em um pântano. Não obstante, em 2004, um masterplan proposto por Rand Elliot + Associates permitiu reverter essa condição que, há muitas gerações, era uma realidade. 

Um trecho de 11 quilômetros que exigiu um investimento de US$ 53 milhões permitiu a melhoria na qualidade da água. Além disso, foi inaugurado este ano o trecho chamado RiverSports Rapids, onde as pessoas podem praticar alguns esportes e atividades físicas. 

6. Pittsburgh, EUA.

Three Rivers Park em Pittsburgh, EUA. Foto: Dave DiCello.

Cerca de 14 dos 20 quilômetros que fazem parte do Parque Três Rios já estão prontos, compreendendo parte de um masterplan proposto pela firma Riverlife Task Force.

A próxima etapa permitirá recuperar uma extensão similar a 20 quadras na região de Strip District. 

7. San Antonio, EUA.

Riverwalk em San Antonio, EUA. Foto: Tim (Timothy) Pearce.

Ao longo dos anos, a River Walk se tornou um dos principais destinos turísticos de San Antonio, e por essa mesa razão, teve sua área ampliada. O que nos anos 1920 foi coberto com concreto por ser considerado esgoto, em 1937 começou a ser transformado em um passeio peatonal com jardins, restaurantes e comércio. 

A história se repetiu nas décadas seguintes e agora existem planos para que outros 12 quilômetros sejam incorporados ao parque. 

***
Por Constanza Martínez Gaete no Arch Daily.

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.