Em Santa Cecília, bancas de jornal são livrarias e espaços de cultura independente

“Foi almoçando num restaurante na Barão de Tatuí, que de repente eu vi uma folha A4 colada na banca dizendo: ‘vende-se esta banca’, e aí a coisa de repente se iluminou”, conta o empresário João Varella.

Ao consertar o teto da banca, João descobriu que o espaço no alto poderia atrair mais clientes. E assim nasceu a banca, repaginada como se fosse uma mini livraria, mas só com publicações independentes. “De 2014 pra cá, eu não teria imaginado que ia ter dado tão certo porque hoje a banca é uma referência de publicação independente. São mais de 180 editoras, coletivos, artistas que a gente representa na banca, e a gente cuida dela com muito carinho”, fala a empresária Cecília Arbolaze.

As publicações independentes são livros com tiragens menores, produzidas por editoras pequenas, e que não tem espaço nas grandes livrarias. O casal não revela quanto investiu nem quanto fatura, mas a ideia fez tanto sucesso que eles resolveram abrir uma extensão da banca na mesma rua: é uma sala onde recebem os clientes com hora marcada e onde também funciona o escritório.

“Acabou sendo um espaço híbrido em que a gente trabalha, recebe pessoas, faz cursos, faz lançamentos, bate papo com autores”, diz Cecília.

Espaço de cultura independente

Banca Curva reúne publicações e trabalhos de artistas independentes em São Paulo. Foto: Brunela Nunes. O empresário Rodrigo Motta também reinventou a banca que ele comprou em março deste ano em São Paulo. Do passado, só restou a estrutura cinza do lado de fora, que obedece a uma lei municipal. Todo o resto foi repaginado pra ser um espaço de cultura independente. O modelo de negócio na banca funciona como uma loja colaborativa, onde autores e artistas alugam esses nichos, para poder expor suas obras.

“Aqui na banca, cada artista ocupa um nicho de madeira, um quadrado ou retângulo, e paga um valor mensal, num acordo de três meses”, conta Rodrigo.

Rodrigo investiu R$ 60 mil para comprar a banca e mais R$ 5 mil em mobiliário – investimento já recuperado por causa do aluguel dos nichos, que custa entre R$ 60 e R$ 70 por mês. O empresário recebe também 10% de comissão sobre as vendas na banca.

“Desde que eu comecei a expor aqui, desdobrou isso em outros trabalhos, outros encontros, é muito potente esse ambiente, essa circulação de pessoas afim que passam por aqui”, afirma a artista Priscila Belloti.

Thiago Blumenthal, Cecilia Arbolave e João Varella, da editora Lote 42, na banca na região central de SP. Foto: Gabriel Cabral / Folhapress.

“Um espaço que está diretamente na rua, é aberto, entram todos os tipos de pessoas aqui, que é uma coisa que me interessa para o meu trabalho”, diz a artista plástica, Andréa Tolaini.

Banca Curva

Rua Dr. Cesário Mota Júnior, 340 – Vila Buarque
São Paulo – SP – CEP 01221-020
Redes sociais: @bancacurva
E-mail: //bancacurva@gmail.com

Banca Tatuí

Rua Barão de Tatuí, 275 – Santa Cecília
São Paulo/SP – CEP 01226-030
Telefone: (11) 98873-4555
www.bancatatui.com.br
E-mail: contato@bancatatui.com.br

Sala Tatuí

Rua Barão de Tatuí, 302, sala 42 – Santa Cecília
São Paulo/SP – CEP 01226-030
Telefone: (11) 2729-8952
www.salatatui.com.br
E-mail: contato@salatatui.com.br

Lote 42

Rua Barão de Tatuí, 302, sala 42 – Santa Cecília
São Paulo/SP – CEP 01226-030
Telefone: (11) 2729-8952
www.lote42.com.br
E-mail: contato@lote42.com.br

***
Por Paula Monteiro na PEGN. Edição: São Paulo São.

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.