O que pensam os CEOs?

Não falar sobre crenças, valores, sociedade, diversidade e até resultados financeiros embute risco muito maior do que tratar deles. Imagem: Getty Images.

Por Heloiza Carvalho

Até pouco tempo atrás, questionar o que e como pensam presidentes de empresas era algo tão comum quanto a curiosidade sobre como tomam decisões os cirurgiões, pilotos ou bombeiros durante a ação de salvar pessoas. Afinal, CEOs eram seres heróicos e sem vulnerabilidades em suas jornadas à frente das empresas.

Mas as coisas mudaram. Além de menos percebidos como heróis e mais como agregadores de bons times num ambiente de segurança psicológica, hoje é mais importante para CEOs que eles (ou elas) falem como e o que pensam do que que as pessoas se perguntem sobre isso. Motivo: engajamento. Com a marca representada, com a empresa e o time liderados e com a cultura personificada.

Imagem: Brunswich.

Não falar sobre crenças, valores, sociedade, diversidade e até resultados financeiros embute risco muito maior do que tratar deles. A conclusão não vem apenas da observação do dia a dia. Ela tem comprovação, dada por pesquisa realizada pela Brunswich, agência de PR internacional, que ouviu cerca de 12 mil pessoas de 13 países, entre profissionais de empresas e leitores de veículos do mundo financeiro.

Segundo o trabalho, de 6,5 mil funcionários ouvidos, 63% preferiam trabalhar com líderes a quem estivessem conectados ou pudessem acompanhar por meio das redes sociais e 86% esperavam ver o posicionamento de CEOs diante de uma crise ser explicitado abertamente nas redes.

Hoje é mais importante para CEOs que eles (ou elas) falem como e o que pensam do que que as pessoas se perguntem sobre isso. Foto: Getty Images.

No Brasil, os dados são ainda mais impactantes: a cada grupo de 10 funcionários, 9 preferem trabalhar com líderes que se exponham nas redes, dada a crença de que eles são mais acessíveis, conectados e transparentes.

Se os números apontam claramente que a demanda por líderes atuantes nas redes segue em avanço, a pandemia só reforçou a tendência, que se manifesta também no evento da invasão da Ucrânia pela Rússia. E você, CEO, o que pensa sobre isso?

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
Heloiza Carvalho
Heloiza é CEO da Tree Comunicação, especialista em comunicação consciente e conselheira especializada em inovação, futuro e tendências pela Inova Trends Innovation.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.