Vila Mariana e Saúde: há muita natureza e qualidade de vida nesses dois bairros vizinhos

Por Chantal Brissac.

Com localização privilegiada, Vila Mariana e Saúde contam com parques, escolas, museus, teatros, restaurantes e bares. Foto: José Cordeiro / SP Turis.

Mais dois bairros paulistanos são destaque na série especial São Conexões: Vila Mariana e Saúde. Localizados na zona sul da cidade, oferecem ótima infraestrutura, fácil acesso aos principais pontos da capital paulista e uma rede de metrô e de ônibus amplas, além de ciclovias fixas e uma ciclofaixa coordenada pela Uber que funciona aos domingos.

Com localização privilegiada, contam com parques, escolas, museus, teatros, restaurantes e bares, um leque diversificado de serviços que tornam as duas regiões exemplos perfeitos da “Cidade de 15 Minutos”, conceito idealizado pelo cientista franco-colombiano Carlos Moreno. Esse sistema, que foi implantado em Paris, entre outras cidades do mundo, propõe que as necessidades básicas da população – saúde, educação, trabalho, cultura, lazer e entretenimento – sejam acessadas a uma distância de no máximo 15 minutos de caminhada, o que torna a vida das pessoas muito mais fácil, econômica e inteligente. Sem congestionamentos e horas perdidas no trânsito, há mais tempo para ser compartilhado com a família, amigos e com desejos e interesses pessoais.

Muito verde ao redor

A Saúde encontra no Parque da Independência, no Ipiranga, uma ótima alternativa para passeios e lazer. Imagem: Ricardo Martirani.

Os bairros de Vila Mariana e Saúde, segundo seus próprios moradores, são ricos nesses atrativos, pois propiciam um estilo de vida saudável e prazeroso, em meio a parques, praças, ruas tranquilas e muitos serviços de qualidade.

Obras da Estação Vila Mariana, em 1969.

Os dois têm o Parque do Ibirapuera nas proximidades. Enquanto na Vila Mariana ele está a algumas quadras, cerca de quatro quilômetros, no bairro da Saúde ele fica a sete quilômetros. Mas não faltam outras áreas verdes nos arredores. O Parque da Aclimação também é vizinho da Vila Mariana, enquanto a Saúde encontra no Parque da Independência, no Ipiranga, uma ótima alternativa para passeios e lazer junto à natureza.

Saúde foi um dos primeiros bairros a ter estação de metrô, em 1974, e se beneficiou do transporte para dar impulso ao seu desenvolvimento. A região é cercada de vias importantes, como a Rua Domingos de Morais, as Avenidas Jabaquara, Dr. Ricardo Jafet, Cursino, dos Bandeirantes e o Complexo Viário Maria Maluf. Está próxima da Rodovia dos Imigrantes, o que é ótimo para quem quer se deslocar para o litoral ou para os municípios do Grande ABCD. O bairro da Saúde é também um dos preferidos da colônia japonesa de São Paulo, ficando atrás somente da Liberdade e da Aclimação.

Vocação cultural

Já a Vila Mariana é importante polo cultural, reunindo centros como o Sesc Vila Mariana, a Cinemateca, o MAC, o MAM e o próprio Museu da Cidade de São Paulo, que acolhe a Casa Modernista na Rua Santa Cruz. De autoria do arquiteto ucraniano Gregori Warchavchik (1896–1972), projetada em 1927 e construída em 1928, é considerada a primeira obra de arquitetura moderna implantada no Brasil. Tombada pelo patrimônio histórico, a casa é uma das onze do Museu da Cidade de São Paulo.

Marcio Gaspar, jornalista e escritor. Imagem: Ricardo Martirani.

Morador do bairro, o jornalista Marcio Gaspar reconhece essa vocação cultural, que segundo ele deixa a região ainda mais interessante e cosmopolita. “É uma riqueza cultural incrível, e que se engrandece com a proximidade da avenida Paulista, que tem vários museus e institutos, como o IMS, o Itaú Cultural e a Japan House”.

Marcio é caminhante contumaz, que circula diariamente pelo bairro e pelo Parque do Ibirapuera, “um pulmão verde” da cidade. “Tenho ponto de ônibus na esquina de casa e metrô a duas quadras, mas o melhor mesmo é andar a pé. Nessas caminhadas a gente sempre descobre alguma coisa, seja um novo café ou uma charmosa lojinha de design. São joias escondidas da Vila Mariana que você encontra enquanto caminha por ruas gostosas e calmas”.

Empreendedores locais

A atriz Rachel Ripani faz coro: “Para mim, a Vila Mariana é uma junção perfeita de um bairro residencial, onde você pode passear com os cachorros na rua, andar de patinete com as crianças e frequentar o Ibirapuera, com uma região repleta de opções culturais. Ela fica perto dos lugares mais interessantes da cidade: museus, teatros, cinemas, institutos, galerias. Tem muita coisa boa”, diz Rachel, moradora há 45 anos, desde que nasceu.

Rachel Ripani, atriz e produtora de conteúdo. Imagem; Ricardo Martirani.

Para ela, se tivesse que levar alguém para conhecer o bairro, o primeiro lugar seria a Chácara das Jaboticabeiras, um loteamento projetado em 1925 por Francisco Prestes Maia e Taufik Camasmie, de grande patrimônio histórico e natural. Rachel gosta da comunidade que se formou no bairro, pessoas que valorizam a natureza, a cultura e o empreendedorismo local. “É muito legal ver pequenos negócios florescendo, como a Walnuts, na rua Morgado de Mateus, uma sorveteria artesanal deliciosa perto de uma escola, ou mesmo a Breading, de pães de fermentação natural. A Vila Mariana é um bairro muito bom para você formar essa comunidade e conhecer pessoas”.

Clima de cidade de interior

Rose e Michelle, cabelereiras. Imagem: Ricardo Martirani.

Na Saúde, o casal de cabeleireiras Michelle Ceródio e Rosemary Teryo Inoki mora e trabalha na região. “A gente consegue aqui ter uma liberdade incrível, pois é possível fazer quase tudo a pé”, explica Michelle. Elas adoram correr no Parque do Ibirapuera, mas também frequentam o Parque da Independência aos domingos, dia em que acontece uma feira de artesanato e gastronomia. “Volta e meia encontramos nossas clientes nas ruas, no parque ou no shopping, porque aqui todo mundo prefere fazer as coisas no bairro”, diz Rosemary. “E não é aquele ‘oizinho’ tímido não, o pessoal sempre para pra conversar, parece uma cidade de interior”, emenda Michelle.

Mônica Lima, empresária. Imagem: Ricardo Martirani.

Proprietária de uma escola de música na Saúde, Monica Lima também compartilha dessa sensação gostosa de morar em um lugar tranquilo, mas também repleto de serviços e opções de compras. “Aqui você encontra tudo o que precisa e perto. Aos domingos, tem a ciclofaixa de lazer, e você vê famílias e galeras juntas pedalando ou andando de skate. Isso dá uma animada para a gente ficar mais dentro do bairro e não ter que procurar coisas fora. Olha, eu sou fissurada por restaurante, um dos meus maiores prazeres é sair para almoçar e jantar, e aqui encontro lugares ótimos, como o Parrilla Argentina, churrascaria que tem umas carnes sensacionais e uma adega de vinhos maravilhosa”.

Heloisa Carvalho, jornalista e empresária. Imagem: Ricardo Martirani.

Já a jornalista e empresária Heloisa Carvalho está descobrindo os atrativos da Saúde há pouco tempo. Há um ano se mudou para o bairro – e se surpreendeu. “É o mix do mundo, pois você encontra comida árabe, chinesa e japonesa, ao mesmo tempo em que aproveita um acolhimento de cidade de interior. Eu gosto muito de correr na rua, e toda vez que eu saio para treinar passo em frente da casa de um velhinho, onde paro pra dar bom dia e conversar um pouco. A Saúde é um lugar que te aconchega, onde você consegue manter as relações mais próximas”.

Como se pôde ver, são dois bairros com muitas conexões e razões para morar!

O São Conexões é um oferecimento da Incorporadora Tegra.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
Chantal Brissac
Chantal Brissac, jornalista e publicitária, fundadora do Pro Coletivo (https://www.procoletivo.com.br/), é autora de livros sobre comportamento, saúde, bem-estar e carreira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.