Dorina Nowill, pioneira na luta pela educação dos deficientes visuais, se torna nome de praça

A oficialização do nome aconteceu com uma festa aberta à comunidade. Com equipamentos de playground, a pequena área verde se tornou um agradável ponto de encontro. Houve animação do DJ Anderson Farias, apresentação do da Cia Ballet de Cegos da Associação Fernanda Bianchini e comidinhas à venda. O prefeito regional de Vila Mariana, Bene Mascarenhas, participou da festa.

A Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Dorina Nowill para Cegos, Ika Fleury, apontou que se trata de uma justa homenagem em reconhecimento ao trabalho prestado por Dorina ao Brasil.

“Uma cidadã consciente com as necessidades da sociedade desde jovem, atuou em defesa dos direitos humanos e sociais dos cidadãos com e sem deficiência”, ressalta Ika. Ela pontua que esse é um momento importante em relação ao trabalho que a Fundação, localizada também na Vila Clementino, tem desenvolvido ao longo dos anos.

Ika conheceu e conviveu com Dorina por alguns anos e destaca que o seu entusiasmo, dedicação e sorriso no rosto eram seus traços mais marcantes. E acrescentou que “Uma homenagem desta natureza contribui para que outras pessoas venham a ser voluntárias e líderes de movimentos que acreditam”.

Mulheres

Festa nesse domingo marcou a homenagem. Foto: Prefeitura Regional de Vila Mariana.

Em levantamento inédito para o site Catraca Livre, a empresa proScore apontou que entre o total de avenidas, praças, ruas, travessas e viadutos na cidade (50.647), os homens recebem homenagens em 21.694 (42%), enquanto as mulheres aparecem em apenas 3.962 (7%).. Quando se leva em conta apenas o total de ruas com nomes de pessoas homenageadas, o total impressiona: 84% são homens.

Na época, uma enquete realizada pela internet provocava os paulistanos a sugerirem e votarem em mulheres que mereceriam ser homenageadas por ruas. Dorina Nowill, criadora da Fundação para o Livro do Cego no Brasil, que se transformou em Fundação Dorina Nowill, foi uma das cinco mais votadas. A entidade, localizada na Vila Clementino, existe há 60 anos e não havia nenhuma via para homenageá-la. 

Dorina Gouvea Nowill nasceu em 1919 e ficou cega aos 18 anos. A entidade foi criada em 1946, sempre focando sua atuação na educação de deficientes visuais e acessbilidade, com ênfase inicial na edição de livros em braille. Dorina faleceu em agosto de 2010.

Fundação Dorina Nowill fica na Rua Doutor Diogo de Faria, 558 • Vila Clementino • CEP: 04037-001São Paulo/SP Brasil• Fone: (11) 5087-0999  Canal de Relacionamento com Doadores: relacionamento@fundacaodorina.org.br.

A nova Praça Dorina Nowill fica na Rua Agostinho Rodrigues Gomes Filho, entre as ruas Leandro Dupret e Cel. José Dionísio Gouvêia.

Leia também: 

***
Fonte: Jornal da Zona Sul.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.